segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Poemas

Não se acostume com o que não o faz feliz, revolte-se quando julgar necessário.
Alague seu coração de esperanças, mas não deixe que ele se afogue nelas.
Se achar que precisa voltar, volte!
Se perceber que precisa seguir, siga!
Se estiver tudo errado, comece novamente.
Se estiver tudo certo, continue.
Se sentir saudades, mate-a.
Se perder um amor, não se perca!
Se o achar, segure-o!

Quero ser o teu amigo.
Nem demais e nem de menos.
Nem tão longe e nem tão perto.
Na medida mais precisa que eu puder.
Mas amar-te sem medida e ficar na tua vida,
Da maneira mais discreta que eu souber.
Sem tirar-te a liberdade, sem jamais te sufocar
Sem forçar tua vontade.
Sem falar, quando for hora de calar.
E sem calar, quando for hora de falar.
Nem ausente, nem presente por demais.
Simplesmente, calmamente, ser-te paz.
É bonito ser amigo, mas confesso é tão difícil aprender!
E por isso eu te suplico paciência.
Vou encher este teu rosto de lembranças,
Dá-me tempo, de acertar nossas distâncias...

[Os dois poemas são de Fernando Pessoa]

Sejam felizes e façam alguém feliz!!!

4 comentários:

* * Joana * * disse...

"Não se acostume com o que não o faz feliz", esta parte infelizmente diz-me muito..

bonito poema :)

beiJO

Fadinha da Sombra disse...

Joana:

Não pode ser assim, tens de dar a volta por cima. Eu sei que custa mas se a mudança é necessária..
Força!!

Beijitos :)

* * Joana * * disse...

sim, é mesmo preciso força

beiJO

Fadinha da Sombra disse...

Joana:

Há uns tempos disseram-me que nada se consegue sem entusiasmo, eu concordo. O que te digo é: por mais mal que as coisas estejam tenta procurar algo positivo, mesmo que seja nas pequenas coisas do quotidiano e apartir daí "dá a volta ao resultado do jogo"!

Beijitos :)